RX Feiras e Eventos

ABAV Expo 2018: Turismo é alavanca para a recuperação do país

Após os discursos as autoridades convidadas reuniram-se na entrada do Anhembi para o desenlace da fita, iniciando assim a 46ª ABAV Expo Internacional de Turismo e o 50º Encontro Comercial Braztoa. 

A 46ª ABAV Expo Internacional de Turismo e 50º Encontro Comercial Braztoa, maior evento do setor de viagens e turismo do Brasil, deve receber 23 mil pessoas no Anhembi, em São Paulo. O evento começou quarta-feira e segue até  hoje , dia 28 de setembro. 

A solenidade de abertura ocorreu na manhã desta quarta-feira, dia 26, reunindo empresários, ministros, secretários estaduais do turismo, representações internacionais com embaixadas e consulados, entidades parceiras, como Abracorp, Air Tkt, Fornatur, SPturis, entre outras autoridades. Na ocasião, o presidente da ABAV Nacional, Geraldo Rocha, afirmou que o mercado do turismo é o que mais rápido gera movimento para a recuperação do país. “Conectar os principais players do segmento é como uma mola propulsora do setor para movimentar a economia do país”, destacou. 

Magda Nassar, vice-presidente da ABAV e presidente da Braztoa, apresentou alguns números do setor. Segundo ela, somente no ano passado, as operadoras de turismo registraram R$ 12.2 bilhões de faturamento. Também citou pesquisa que mostra que o turismo impacta diretamente em mais de 570 setores da economia. Com discurso engajado, Magda ressaltou a importância de parcerias e políticas públicas para alavancar o setor, e reforçou a importância do aumento de profissionais mulheres neste segmento.   

A política de vistos é outro fator importante para o setor. Teté Bezerra, presidente da Embratur, discorreu sobre as iniciativas que estão sendo desenvolvidas com outros países e que possibilitaram um aumento de 47% na facilitação dos documentos, “o que faz com que mais pessoas possam viajar e aproveitar as oportunidades”. Teté enfatizou também as rodadas de negócios que acontecem durante a ABAV EXPO, onde países como Argentina, Chile, México, Rússia e outros têm a oportunidade de troca de experiências e fechamento de negócios. 

O Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, trouxe uma análise sobre o potencial do setor diante às oportunidades. “Essa ficha ainda não caiu para os brasileiros”, ressalta o Ministro. E continua: “Quando olho para o potencial turístico que nós temos e a economia criativa que geramos, fico dividido entre a tristeza, do tamanho desperdício, e a alegria, visualizando o tamanho potencial que ainda pode ser explorado, e esse é o grande desafio. O turismo conectado gera renda, emprego e centenas de oportunidades”.  

As demais autoridades também destacaram que ainda há muito o que se fazer. De acordo com o Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, é preciso desonerar setores. "Não podemos pensar o Brasil em silos e sim como um todo para movimentar investimentos”. E ainda destacou que, em 2017, um em cada cinco empregos gerados no Brasil se deram pelo aquecimento do turismo.  

 

 

 

 


Busca

Cadastre seu email

Receba novidades sobre a Raio-X